Não cutuque sua Orelha!

Não cutuque sua Orelha!

Otorrinolaringologia

Recomendações reforçam a importância de não mexer no ouvido com qualquer objeto e procurar ajuda médica quando houver necessidade.

A Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço atualizou suas diretrizes acerca da limpeza da cera de ouvido. E conscientiza sobre a importância do material viscoso à saúde auditiva, para a lubrificação da região, controle de temperatura e evitar a invasão de bactérias. Enfiar hastes flexíveis, chaves ou grampos no buraquinho da orelha está relacionado a irritações, infecções e até lesões mais sérias, como o rompimento do tímpano.

Você NÃO deve

• Limpar o ouvido demais. Isso abre alas para uma série de problemas;

• Inserir qualquer objeto pequeno no local;

• Usar velas terapêuticas. Seu efeito não está comprovado.

Você deve

• Procurar o médico se tiver sinais de perda auditiva;

• Perguntar sobre as maneiras de remover a cera excedente;

• Visitar o especialista quando há sangramento ou dor;

• Cerca de 10% das crianças, 5% dos adultos e 30% dos idosos sofrem com excesso de cera.

A cera tem seu papel

1. Fábrica: o cerume é produzido pelas glândulas do canal auditivo. Ele é essencial para nos proteger de agentes infecciosos e manter as estruturas ali em bom estado.

2. Renovação: a substância é secretada continuamente e escorre de dentro pra fora. Aos poucos, fica velha e dura. Daí cai na orelha e vai embora durante o banho.

3. Acúmulo: acontece que alguns indivíduos soltam cera em demasia. Ela acumula e chega a bloquear o tímpano, o que prejudica a captação de sons do ambiente.

4. Agravamento: o uso das hastes flexíveis ou de outros objetos, porém, só piora o quadro. Isso porque eles empurram mais meleca para o fundo, o que apenas vai postergar o chabu.

Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou de um profissional de saúde qualificado, caso você tenha quaisquer dúvidas sobre algum sintoma.

Fonte: saude.abril.com.br

DR. MÁRCIO PEDRO MARTINS (CRM/PR 14832|RQE 12667)