Ultrassonografia morfológica fetal

Ultrassonografia morfológica fetal

Ultrassonografia

O ultrassom morfológico é uma variação do ultrassom convencional. Ele é normalmente feito entre a 20ª e 24ª semana da gravidez. Nesta época pode-se ver o feto com maior facilidade do que nas semanas posteriores, e com mais clareza do que nas semanas anteriores. A ultrassonografia morfológica mostra com detalhes todos os órgãos internos do bebê, evidenciando se há algum problema ou se o desenvolvimento do bebê está indo bem.

Órgãos como estômago, pulmão, coração, bexiga, rins e ossos são pontos importantes no ultrassom morfológico.

Alguns recursos, além das ondas de som, podem ser usados na ecografia morfológica como é o caso do Doppler, que verifica a intensidade do fluxo de sangue da placenta para o bebê e para seu coração.

Como já relatamos acima, no ultrassom morfológico são analisados detalhes minuciosos do desenvolvimento do bebê que nos demais ultrassons não é possível, medidas, estrutura e formato da cabeça do bebê, assim como os demais órgãos são visíveis na realização do exame.

A imagem do rosto do bebê também é mais nítida no ultrassom morfológico, por isso, é possível verificar os traços do bebê assim como a existência do lábio leporino ou fenda labial, exceto a fenda palatina que é a abertura no céu da boca que fica de difícil análise.

No ultrassom morfológico, a coluna é examinada detalhadamente e consegue-se ter certeza de que os ossos estão bem alinhados e corretamente posicionados.

O coração também é cuidadosamente analisado, suas válvulas são observadas para que abram e fechem acompanhando a batida do coração.

O rim é observado, assim como se a urina está fazendo o percurso correto da bexiga. A posição da placenta, o cordão umbilical e seus vasos sanguíneos também são melhor observados com a ajuda do Doppler do ultrassom morfológico. A quantidade de líquido amniótico será observada, garantindo que o bebê tenha a quantidade necessária para continuar se desenvolvendo de forma saudável.

As artérias uterinas também podem ser verificadas, já que o fluxo sanguíneo alterado pode indicar risco de pressão alta. Através de todas as medidas conferidas durante a ecografia morfológica serão informados peso e tamanho, porém se trata de uma estimativa para que possam seguir até o dia do parto. Não podemos esquecer que pode existir uma variação para mais ou menos comparado a outras gestações.

Ultrassom 4d

O exame de ultrassom 4D (quatro dimensões) é uma evolução dos ultrassons métodos 2D e 3D, que transforma as imagens tradicionais em imagens tridimensionais, possibilitando a mãe de visualizar uma cópia mais realista do seu bebê. Essas imagens são como fotografias do bebê e possuem qualidade parecida, podendo-se visualizar a movimentação do bebê.

Tanto o ultrassom 3D quanto o 4D podem ser feitos em qualquer momento da gestação. Porém, é importante dizer que, dependendo da idade gestacional, a imagem que será mostrada pode ser totalmente diferente.

Por exemplo, imagens feitas no primeiro momento da gestação irão mostrar o corpo do bebê de forma única, ou seja, inteiro, mas não conseguirão captar pequenos detalhes, pois o bebê ainda é muito pequeno.

Já perto da 20ª semana de gestação é possível obter algumas imagens do rosto e sua fisionomia, entretanto elas ainda não serão muito bonitas, já que nesta fase o bebê ainda não está tão gordinho. As melhores imagens do rosto do bebê se conseguem entre a 26ª e 29ª semanas de gestação, pois neste período o bebê já tem uma boa quantidade de gordura embaixo da pele e ainda tem bastante líquido (o que é muito importante para formação de imagens nítidas).

Após há 30ª semana possivelmente podemos conseguir boas imagens, contudo, obtê-las torna-se muito difícil, pois o espaço dentro do útero acaba se tornando pequeno e o rosto fica a maior parte do tempo escondido. Por isso a recomendação é que o planejamento do exame seja feito 26ª e 29ª semana da gestação.

*CRSM - Clínica Radiológica São Miguel