Brincando e descobrindo o mundo

Brincando e descobrindo o mundo

Psicologia

A função do brincar na infância é tão importante e indispensável quanto comer, falar, dormir, entre outras ações vitais. É por meio dessa atividade que a criança alimenta seu sistema emocional, psíquico e cognitivo. Ela elabora e reelabora toda sua existência por meio da linguagem do brincar, do lúdico e das interações, construindo o seu conhecimento com prazer. A brincadeira permeia a própria existência humana, porém, durante os seis primeiros anos de vida, a criança utiliza-se dessa linguagem para se expressar e para compreender o mundo e as pessoas.

Ao brincar, a criança entra definitivamente no mundo das aprendizagens concretas. Ela elabora hipóteses e as coloca em prática, constrói objetos e manipula as possibilidades de seu universo. Este brincar agrega três pontos importantes que norteiam a criança. São eles: o corpo, utilizado inicialmente para suas brincadeiras, o símbolo, através do faz de conta e as regras, através de jogos que estimulem a convivência com seus iguais.

O brincar é uma atividade que contém sua finalidade em si mesma, não apenas uma preparação à vida adulta, mas também uma preparação buscada no e para o momento vivido. É brincando que a criança elabora alguns medos, dúvidas, angústias, até mesmo a perda relativa dos cuidados maternos, descobrindo estratégias para enfrentar desafios e andar “com suas próprias pernas”, assumindo a responsabilidade de seus atos. Entretanto, é primordial conhecer o desenvolvimento da criança e como ela avança em suas brincadeiras de acordo com sua faixa etária. Pois é preciso estar atento, ao desenvolvimento de cada criança que varia em função do contexto, das necessidades próprias de cada uma.

Conheça a classificação dos brinquedos do ponto de vista didático:

• Até 3 meses: A criança brinca com o seu corpo, já é capaz de agarrar pequenos objetos e brinca com o corpo da mãe.

• A partir dos 3 meses: Leva os brinquedos a boca e segura com a mão objetos. Para estas duas faixas etárias (0 a 6 meses) recomenda-se mordedores e chocalhos que sejam coloridos e com alça para poder segurar de várias formas.

• Por volta dos 6 meses: Brinquedos para berço e para banho, livros com figuras, em que os pais podem ensinar e estimular a linguagem contando histórias, para que, mais adiante, a criança já possa criar sua própria história.

• Entre os 8 e 10 meses: São importantes brinquedos como bolas, blocos de descoberta, brinquedos para encaixar, para que as crianças possam aprender os primeiros movimentos de pinça com dois dedos.

• Entre os 11 e os 15 meses: Brinquedos de encaixar e de puxar e caixas para por e tirar objetos são os mais indicados.

• Por volta dos 18 aos 24 meses: Os jogos motores desenvolvem os movimentos espontâneos. Ofereça também livros, revistas e objetos para que a criança possa desenhar, assim estará ajudando seu filho a se desenvolver cada vez mais.

• Dos 2 aos 3 anos: Os jogos de montagem e os quebra-cabeças são os ideais para esta fase, pois a criança desenvolve o pensamento e a imaginação além de carrinhos, triciclos e carrinhos de bonecas para que o desenvolvimento motor seja trabalhado. Introduza aqui massa de modelar e argila nas brincadeiras.

• Dos 3 aos 5 anos: Nesta fase as crianças precisam de brinquedos que recriem cenários e ambientes cotidianos por isso, dê a elas casinhas, fantoches, teatrinhos, fantasias, homenzinhos (soldados, heróis, etc...) e carrinhos. Ofereça também músicas infantis, livros para colorir e livros de história. Nesta idade são importantes também às brincadeiras e jogos que trabalhem a psicomotricidade e o conhecimento do corpo, e sirvam como ferramenta de sociabilização com as demais pessoas em que a criança vive, como atividades de bola, canções que envolvam o toque da mão nas diversas partes do corpo, movimentos de girar, abaixar, subir e correr para ver quem chega primeiro.

• A partir dos 6 anos: Aqui as crianças gostam muito de jogos e brincadeiras com regras além de brincadeiras de imitar os adultos em seus afazeres. Os jogos que necessitem de habilidades, como pega-pega são também atrativos para elas nesta fase.

• Dos 7 aos 11 anos: Nesta idade as crianças preferem jogos que envolvam, além do esforço físico, estratégias e raciocínio mais elaborado, como xadrez, atividades criativas que trabalhem as mímicas, esportes em grupo com o objetivo de promover uma noção de espaço e de pensamento rápido na hora de tomar decisões, como passar a bola, chutar, arremessar, correr ou esperar o adversário.

• Acima dos 11 anos: Nesta fase a criança vai aprimorando suas brincadeiras e desperta para a inicialização em algum esporte, sempre visando ao aprimoramento de alguma modalidade e à combinação de exercícios.

Algumas dicas:

• A criança pequena deve ser ensinada a brincar com o brinquedo;

• Os pais devem interagir, brincar junto, observando e não superprotegendo;

• Os brinquedos não precisam ser caros e sofisticados, muitas vezes, a criança gosta muito mais do que é confeccionado pelos pais do que dos brinquedos que são comprados;

• Ao comprar os brinquedos tenha cuidado com as peças pequenas que contenham imãs ou outros objetos que possam ser engolidos ou aspirados.

*JaniceM.Cavalini - Psicóloga | CRP 07/12545