Tratamento das patologias articulares (ATM)

Tratamento das patologias articulares (ATM)

Odontologia

A disfunção temporomandibular é um termo coletivo que abrange os músculos mastigatórios, as articulações e estruturas associadas. O tratamento conservador (sem cirurgia) é muito indicado e controla os sintomas de maneira eficiente. No entanto, algumas situações exigirão tratamento cirúrgico.

A equipe da Mazzochini Odontologia em parceria com a JRG Odontologia, aqui representada pelo Dr. Daniel Serra Cassano, tem avançados recursos cirúrgicos para tratamento das ATMs. As técnicas cirúrgicas são minimamente invasivas e estudadas desde 1992 quando a técnica foi desenvolvida. Dores, limitações de abertura de boca, desvio da mandíbula ao abrir a boca, ruídos articulares, dores de cabeça e nos músculos da face são alguns dos sintomas das patologias articulares.

O diagnóstico das patologias articulares é feito através de uma análise clínica, radiográfica, tomográfica e pelo exame mais importante que é a ressonância nuclear magnética das ATMs onde conseguimos identificar os deslocamentos dos discos articulares, a morfologia óssea intra-articular, derrames articulares e a viabilidade do disco.

As desordens intra-articulares merecem um cuidado especial pois podem ser patologias degenerativas e progressivas que levam a reabsorção óssea das estruturas condilares e também do disco levando a deformidades faciais e maloclusões. Quanto mais precoce se identifica as patologias articulares melhores são os prognósticos e índices de sucesso. A realização do reposicionamento dos discos articulares oferece uma ação protetiva para os côndilos que param o processo de reabsorção e tornam-se saudáveis novamente. Os pacientes de maiores riscos a terem reabsorção condilar pós-cirurgia ortognática são aqueles que apresentam deslocamento dos discos articulares pré-operatório e com as seguintes características faciais, dentárias e de imagens: classe II esquelética, paciente hiperdivergente, com plano oclusal e mandibular altos, que apresentam alterações morfológicas condilares observadas em radiografias, tomografias e ressonarias nucleares magnéticas, com alterações das posições dos discos articulares. Muitos artigos, capítulos de livro, revisões sistemáticas e metanálises mostram a importância do reposicionamento dos discos nesses tipos pacientes.

Existem as patologias proliferativas que promovem um crescimento facial bastante grande e assimétrico levando a grandes assimetrias faciais. Os exemplos mais clássicos dessas patologias são as hiperplasias condilares e os osteocondromas. Quando presentes em apenas uma articulação, desvia a mandíbula para o lado contra-lateral, desloca o disco do lado oposto, mudam a linha média dentária e geram uma maloclusão bastante significativa. A cirurgia ortognática para tratamento das deformidades sem abordagem na ATM desses pacientes é altamente recidivante pois mantém ativa a patologia articular que volta a crescer e alterar a face.

Em casos mais graves de total destruição das ATMs e limitações funcionais por anquilose, má formações congênitas (microssomias hemifaciais), articulações operadas várias vezes, síndromes, aplasias condilares, alterações auto-imunes (artrite reumatóide, lupus, espondilite anquilosante), fraturas cominutivas dos côndilos, osteoartroses, artrites reativas, reabsorções condilares idiopáticas e neoplasmas, fazemos a substituição das articulações por próteses personalizadas das ATMs. Essas próteses são feitas nos EUA sob medida para cada paciente e devolvem a função articular, além de permitirem a correção da deformidade facial, da apneia obstrutiva do sono e de devolverem a qualidade de vida aos pacientes.

DR. DANIEL SERRA CASSANO | CRO 25070

DR. DANIEL MAZZOCHINI | CRO/RS 16011